Guerra do Velho – Resenha

featured image nerdofobia

A humanidade está totalmente imersa na era das viagens interestelares. A má notícia é que há poucos planetas habitáveis disponíveis – e muitos alienígenas lutando por eles. Gostou da premissa então você sem dúvida tem de ler A Guerra do Velho de John Scalzi.
Guerra do Velho é o primeiro livro de uma série de ficção cientifica que vem conquistando uma legião de fãs pelo mundo pela ideia inovadora e pela escrita transparente e objetiva de seu autor.

“Bem, sabe, sinto falta da minha mulher. Mas também sinto falta da sensação de, sei lá, conforto. Da sensação de que você está onde deveria estar, com alguém com quem deveria ficar. Com certeza não sinto isso aqui. Vamos a lugares pelos quais precisamos lutar, com pessoas que podem estar mortas no dia seguinte, ou no próximo. ”

Em suma para proteger a Terra e também conquistar novos territórios, a raça humana conta com tecnologias inovadoras e com a habilidade e a disposição das FCD – Forças Coloniais de Defesa. Mas, para se alistar, é necessário ter mais de 75 anos. Essa é a idade do protagonista do livro: John Perry, ele é um viúvo que não tem mais muito o que perder na terra e se alista tentando viver uma nova vida no espaço. Talvez essa seja uma das sacadas mais geniais da série de Scalzi, a inclusão de uma força militar espacial montada basicamente de senhores e senhoras de mais de 75 anos.  Claro que para lutar no espaço vai se precisar de algum tipo de transformação e daí temos o boom do livro, não contarei para não estragar a surpresa de quem está lendo, mas quem já leu sabe do que estou falando.

GUERRA-DO-VELHO nerdofobia

O desenvolvimento da trama é sentido pelo leitor sem sombra de dúvidas, isso se deve muito a escrita bem humorada de Scalzi e por trazer um tema tão difícil como a guerra e o preconceito com o diferente de forma ácida e com pitadas de critica ao jeito de viver do próprio americano. O livro conduz questionamentos pertinentes quando pensamos sobre a sociedade atual e até onde vai o limite do ser humano enquanto raça.

Além disso a maneira como o autor deu um tratamento especial as raças que habitam o vasto universo enquanto batalham por planetas que tenham condições aceitáveis de serem colonizados é de arrancar aplausos. Instiga o leitor a querer adentrar ainda mais no universo criado por ele e descobrir sobre a mitologia por trás desses seres.

GUERRA-DO-VELHO

Outra coisa que deve se destacar em Guerra do Velho são os rigores da guerra. Quem gosta de ficção cientifica mais hardcore talvez estranhe um pouco se achar a ficção cientifica do livro como um plano de fundo para falar de um conflito militar. Sim grande parte do livro se resume a descrever a trajetória de John Perry nas FCD e como ele vai gradualmente descobrindo como é ser um soldado numa guerra que o faz questionar os limites de quem ele realmente é. Sim a guera consome as pessoas, nos fazem perder amigos ( os velharias que o digam) e mostram as implicações morais de um conflito em grande escala.

“No meu aniversário de 75 anos fiz duas coisas: visitei o túmulo da minha esposa, depois entrei para o exército. ”  – John Perry

Talvez um dos pontos que denotem fraqueza no livro seja a sensação de descartabilidade que os personagens coadjuvantes passam. Fica a impressão que eles podiam ser melhor aproveitados e terem um background mais rico. Mas analisando de forma fria essa possa ser uma das intenções do autor como já falei anteriormente para mostrar que a guerra é assim, uma hora estamos aqui outra hora não. Ainda assim eu particularmente achei que é um pecado não desenvolver melhor os coadjuvantes do livro. Para se ter uma ideia uma das protagonistas por assim dizer desse primeiro romance e do segundo volume ( As Brigadas Fantasmas) só é apresentada no terço final de “A Guerra do Velho”.

GUERRA-DO-VELHO nerdofobia 2

Enfim, Guerra do Velho é um livro que deve ser lido por todos os amantes de ficção cientifica e por pessoas que queiram começar a ler um livro novo e de fácil absorção. Sim apesar de tratar de temas delicados como guerra, xenofobia, divergências culturais e raciais e fazer duras criticas ao modo de viver do americano ,não é uma leitura pesada, pelo contrário, dos livros que li esse ano Guerra do Velho foi um dos mais fluídos. É pedida certa para fãs de Star Trek, Star Wars e afins.

Merece figurar na prateleira de quem gosta de uma boa história independente da idade.

Por Jefferson Lobo (@jeffersonwayne)

guerra-do-velho-contracapa

Anúncios

2 comentários

  1. Star Trek com porradaria. Eu devorei o livro em três dias por PDF, estou esperando a próxima sequência entrar em promoção porque a grana tá curta ^.^

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s