o canibal da borborema

O Canibal da Borborema – Ato VII – Anjo da Pequena Morte e da Cena de Codeína

Postado em Atualizado em

anjooo

03:00 horas.

Flávia Maxmiliano adentrava o beco escuro.

A garoa estava tão fraca que quase parecia um vento gélido.

Sua visão havia se acostumado com as trevas já fazia uma semana. Seu novo estado era uma dádiva e tanto, mas ela era totalmente novata no assunto de lidar com algo tão magnânimo como o que havia acontecido com o seu ser.

Leia o resto deste post »

O Canibal da Borborema – Ato VI _ Por que Sangue Tem Gosto de Ferro?

Postado em Atualizado em

 

o-caniba-da-borborema-capa-2-ato-vi 

00:13 horas.

Efferson despertou com uma música tocando muito distante. Escutava a canção e a melodia na voz de uma mulher. As memórias dele dispararam mesmo antes que ele pudesse abrir os olhos.

Era um fado.

Lembrava-se muito bem do ritmo e da melodia pois sua falecida mãe sempre ouvia e ele escutou muito tempo depois que sua genitora havia partido.

Leia o resto deste post »

O Canibal da Borborema Ato V – O Cão Chupando Manga

Postado em

o canibal ato v

04:00 horas.

José Inocêncio continuava acordado.

A insônia foi um dos traumas que ele havia adquirido depois do encontro surreal com Nair e de toda a mudança ocorrida na sua vida na última semana. Toda vez que dormia sonhava com o ocorrido, depois de um tempo o sono simplesmente não vinha.

Outra coisa que o perturbava era o sumiço de Efferson seu melhor amigo e da sua ex-noiva que também continuava desaparecida.

Levantou da cama.

Pôs a calça de pijama vermelho e foi até a varandinha do duplex.

Leia o resto deste post »

O Canibal da Borborema Ato IV – O Último Bater de Suas Asas

Postado em Atualizado em

capa ato IV

07:00 horas.

Flávia Maxmiliano acordou com uma dor de cabeça de fazer frente a qualquer lutador profissional de boxe um dia depois de ter perdido uma luta por título. Além de sua cabeça latejar notou ao tentar erguer o corpo que a fratura no seu joelho e tornozelo doeram como nunca na sua vida. A dor foi excruciante e a fez derramar uma lágrima involuntária.

Leia o resto deste post »

O Canibal da Borborema: Ato III – Ossos do Ofício

Postado em Atualizado em

o canibal da borborema ato III Ossos do oficio

07:00 horas.

Efferson adorava o gosto de seios pela manhâ.

Transar no escritório em que trabalhava diariamente tinha virado uma rotina perigosa, na verdade, ele adorava o perigo. Gostava de ser provocado por qualquer tipo de mulher e nesse trampo tinha encontrado a mulher perfeita para isso. Ela era sua superior, independente, bonita, popular e extremamente carente quando o assunto era sexo.

Leia o resto deste post »